Classe em Estuque, por Iva Viana

Iva Viana nasceu em Viana do Castelo, em 1980. Licenciou-se em Artes Plásticas, na variante de escultura, na Faculdade de Belas Artes do Porto.

Em 2007 iniciou o seu percurso como técnica de escultura numa empresa de âmbito internacional, especializada em gessos decorativos, e, em 2009, estagiou com o escultor Pierre Merlin, em Nîmes, França.

Deixou para trás o emprego estável e criou, em 2013, o seu próprio atelier, recuperando os processos tradicionais de escultura decorativa em gesso.  Às técnicas herdadas, que tanto valoriza, junta o seu toque contemporâneo com que tem vindo a revitalizar e recuperar o estuque.

Iva Viana será uma de três excepções às principais vertentes presentes na nossa exposição colectiva, vindo tornar ainda mais ecléctica esta iniciativa solidária, com as suas esculturas de camélias.

Sempre quiseste ser artista? Não, já quis ser motorista de pesados, para viajar pelo mundo.

E a escultura? Foi desde sempre a tua primeira escolha? Sim, escultura foi a minha única escolha.

Porquê estuque e porquê a reinterpretação dos desenhos e formas tradicionais, tão característica do teu trabalho? O estuque apareceu meio por acaso. No final do curso, entrei para uma empresa estrangeira especializada nessa área, como técnica de escultura. Nos tempos da faculdade não tinha grande entusiasmo em relação ao gesso, era visto como matéria para fazer moldes e pouco mais. Nesta empresa encontrei verdadeiros mestres que me mostraram, como realmente se trabalha o gesso e como isso é incrivelmente bonito.

Como nasceu a peça que doas à  Associação Portuguesa de Doentes de Huntington? Para a Associação Portuguesa de Doentes de Huntington ofereço 3 camélias. Esta peça foi criada este ano, os motivos florais estão muito presentes no meu trabalho, adoro flores, adoro jardins.

Um percurso e dedicação inspiradores! Para mais informação consultem o seu Facebook e Site.

OBRIGADO  Iva!

Anúncios